Portal Voz Amazônica

ACLJA, AO INFINITO E ALÉM

A Academia de Ciências e Letras Jurídicas do Amazonas (ACLJA) completa na próxima terça-feira (13/07) quatro anos de feliz e produtiva existência.

Parece que foi ontem que eu, José Roberto Tadros e mais quarenta e sete notáveis juristas do Amazonas nos reunimos para, em torno do grande Bernardo Cabral, relator geral da Constituição de 1988, fincarmos as colunas da força e da beleza de uma instituição necessária – sobretudo no momento conturbado por que passa o país – e destinada a eternizar-se por conta do valor intelectual de seus membros fundadores, que muito têm realizado em prol do direito, da justiça e do ensino jurídico.

Faço questão de nominá-los, com gratidão e reconhecimento: Bernardo Cabral, José Tadros, Mauro Campbell Marques, Flávio Pascarelli, Gaitano Antonaccio, José Hamilton Saraiva dos Santos, Luziane Figueiredo, Ari Moutinho, Lafayette Vieira, Alcemir Figliuolo, Arnaldo Péres, Marinildes Lima, Adalberto Carim Antonio, Márcio André Lopes Cavalcante, Pontes Filho, Francisc Rita Alencar Albuquerque, Jaiza Fraxe, Jussara Pordeus, Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho, Edmilson Barreiros Júnior, Lúcia Viana, Graça Figueiredo, Aldemiro Dantas, Félix Valois, Aniello Aufiero, Divaldo Martins da Costa, Helso do Carmo Ribeiro Filho, Marco Choy, Liana Mendonça de Souza, Luís Carlos Valois, Paulo Feitoza, Júlio Cezar Lima Brandão, Pedro Lucas Lindoso, Lupercino de Sá Nogueira, Arlindo Porto, José Alberto Simonetti Cabral, Oldeney Valente, Fábio Mendonça, Mário Aufiero, Clynio Brandão, Vallisney Oliveira, Jorge Pinho, Socorro Guedes Moura, José Russo, Evandro Paes de Farias, Paulo Trindade Júnior, Gerfran Carneiro Moreira, Sálvia Haddad, Adriana Lo-Presti Mendonça e, postumamente, Sebastião Marcelice Gomes.

Em nosso aniversário, que será realizado em espaço reservado da Loppiano Pizza, na próxima terça-feira (13/07), atendidas todas as normas de segurança relativas à pandemia de covid-19, temos muito a comemorar. A programação se inicia com o lançamento do revista científica da ACLJA, composta por dezesseis artigos assinados por vinte e três autores; pelo lançamento do site da instituição; pela outorga da Medalha de Ouro e do Mérito Bernardo Cabral, que nesta edição será conferida aos acadêmicos José Tadros, Marco Choy e Mário Aufiero; e pela outorga dos diplomas de sócios honorários ao presidente do TCE-AM Mario de Mello, à reitora das faculdades Fametro e Santa Teresa Maria do Carmo Seffair Albuquerque, ao professor de Direito e antropólogo Paulo Queiroz, à presidente da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica (AM) Maria Creuza de Seixas e aos músicos que compuseram o lindo hino da Academia, encabeçados por Wanderlan Paulino de Brito. Na mesma ocasião serão agraciados os professores doutores Ricardo Tadeu Feitosa Bezerra, ex-presidente do Colégio das Academias Jurídicas do Brasil; e Antonio José de Mattos Neto, ex-presidente da Academia Paraense de Letras Jurídicas e atual presidente da Academia Paraense de Letras. Neste último quadro, aliás, já figuram, como sócios honorários os ex e atual presidente da Academia Brasileira de Direito, respectivamente os professores doutores Roberto Victor Pereira Ribeiro e André Augusto Malcher Meira.

A ACLJA hoje possui personalidade jurídica, tem sede, bandeira, hino, selo, brasão, colar acadêmico, promoveu ou participou de inúmeros eventos em nível local e nacional, integra o Colégio Academias Jurídicas do Brasil e disponibilizará em seu site, de início, quarenta obras próprias e de seus membros, para acesso livre e, até, download. O limite é o infinito, e além…

Da Redação:

Júlio Antônio Lopes para o Portal Voz Amazônica e para a Rádio Cultural da Amazônia

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.