Portal Voz Amazônica

CONSEQUÊNCIAS DAS FAKE NEWS

O mundo, hoje, principalmente o nosso Amazonas, está passando pela maior pandemia de todos os tempos, que vem deixando um rastro de consequências muito nocivas. Além da pandemia propriamente dita, nós temos outro fenômeno que fortalece as nossas desgraças humanas: as mentiras divulgadas como verdades, também denominadas de fake news: um vírus que mata sem a necessidade de infecção, diferentemente da Covid-19.

É interessante, aliás, essa comparação, pois no que concerne à Covid-19, há uma fato que merece relevância: as comunidades científicas do mundo inteiro estão à procura da cura definitiva, ou, no mínimo, da amenização dos flagelos humanos que o vírus impôs. E esse é um sinal de que há, enfim, uma esperança para a humanidade. Quanto às fake news, todavia, a solução parece estar bem longe ainda, por múltiplo fatores.

Atribui-se às fake news, com certa razão, o feitio de fraude conhecida como phishing (onde se empregam várias maneiras de enganar, ludibriar, iludir…), porque as fake news assumem formatos diversos, e se consolidam como um fenômeno de peso a partir de um ambiente propício para entrar em ebulição. Nesse sentido, destinou-se às duas casas parlamentares federais o Projeto de Lei nº 2.630, para o combate rigoroso dessa prática.

É preciso, porém, ir mais além, porque por mais ingênua que possa parecer a notícia falsa, ela induz ao erro e contribui severamente para a desinformação da população. É exatamente o caso das notícias divulgadas nas redes sociais, sem nenhum parâmetro de comprovação, colocando vidas em risco ou prejudicando a saúde das pessoas. Por todas essas razões, o desespero da população é notório, pois isso tudo tem resultado em consequências irreparáveis. Essa, porém, é uma tarefa dos órgãos fiscalizadores, para acompanhar e apurar as denúncias.

Conforme exposto acima, o que importa, portanto, é uma tarefa também de cada cidadão de bem, e não apenas por parte dos órgãos fiscalizadores. Vê-se, pois, que as notícias falsas conseguem alcançar um grande número de pessoas. É preciso ressaltar que os momentos de crise que experimentamos são importantes para que possamos compreender várias questões, mas, infelizmente, alguns instrumentos jurídicos que podem ser aplicados no melhoramento ainda são ineficazes.

Por final, importa dizer que, se a questão das fake news não for encarada como uma epidemia ou uma crise nacional, que merece a atenção de todos (sobretudo, colocando de lado as nossas indiferenças, buscando construir uma ampla unidade em torno dessas bandeiras, e principalmente em defesa da democracia), as fake news poderão ser igualmente, ou mais, devastadoras que a Covid-19.

Da Redação: Cassius Clei Aguiar para o Portal Voz Amazônica e para a Rádio Cultural da Amazônia

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.