Portal Voz Amazônica

Governo acusa vice-governador de fraudar diário para exonerar secretário

O vice-governador do Amazonas está sendo acusado de fraudar documento para exonerar o secretário de Segurança Pública, coronel PM Louismar Bonates. Carlos Almeida diz que a exoneração foi “um ato de extrema necessidade diante do escândalo que a permanência do secretário representava à frente da pasta”.

Manaus O governo do Amazonas acaba de publicar uma nota de esclarecimento na qual acusa o vice-governador Carlos Almeida de fraudar documento público para exonerar o secretário de Segurança Pública, Louismar Bonates. Segundo a nota, Carlos e um servidor da Casa Civil criaram o documento sem conhecimento do chefe da pasta e do governador Wilson Lima.

A fraude, segundo a nota, foi cometida na madrugada desta quinta, dia 22. A nota ressalta que o documento não chegou a ser publicado e que, por isso, não tem validade nem efeito.

O esclarecimento do governo considera ainda gravíssimo o ato de Carlos Almeida e informa que o servidor envolvido será exonerado.

Nota de esclarecimento – fraude em documento

O Governo do Amazonas esclarece que, na madrugada desta quinta-feira, o vice-governador, Carlos Almeida, e um funcionário comissionado da Casa Civil, de forma ilegal, criaram um documento exonerando um secretário de Estado, sem conhecimento do chefe da Casa Civil e do governador.
O documento não chegou a ser publicado, por isso não tem validade e efeito. Mas o ato gravíssimo tem o objetivo de causar instabilidade e danos ao Governo. Diante disso, o servidor será exonerado, teve as senhas de acesso a sistema de governo canceladas e foi proibido de entrar na Casa Civil. O caso foi encaminhado à policia, que tomará todas as providências para responsabilizar os envolvidos nesse ato criminoso.

Diário Oficial, Edição Extra

O documento a que a se refere a nota de esclarecimento é uma edição extra do Diário Oficial do Estado.

O vice-governador, por sua vez, afirmou o seguinte a respeito: “Wilson está viajando desde às 17:00 de ontem. Só volta no final do dia de hoje. Eu sou o Governador em exercício. Não há fraude se eu quem tenho o poder legal de agir”.

Da Redação

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.