Portal Voz Amazônica

Movimento “Patologia Cultural” será na sexta-feira: Armando Menezes homenageado em evento de Academia de Letras

O evento será na sexta-feira (30), e pretende ser o maior e mais delineado sarau já ocorrido na Amazônia. Acontecerá lá no Auditório OAB/AM, e respeitando os critérios de pandemia, contará com número limitado de autores participantes (apenas 20, previamente inscritos), mas será aberto ao público em geral, desde que observadas a regras de segurança da saúde: máscaras e distanciamento.

Manaus – Na próxima sexta-feira (30), a Academia de Letras e Culturas da Amazônia (ALCAMA) realizará o Movimento “Patologia Cultural”, o maior e mais delineado sarau já ocorrido na Amazônia, lá no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil. Respeitando os critérios de pandemia, o evento contará com número limitado de autores participantes (apenas 20, previamente inscritos), mas será aberto ao público em geral, desde que observadas a regras de segurança de saúde (uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento). O Movimento “Patologia Cultural” nasce a partir dos efeitos isoladores da pandemia, e do afastamento humano, da vedação dos saraus públicos, e da saudade acentuada que ‘adoeceu’ a todos. Por isso, a designação “Patologia”.

A Bandeira Oficial do Movimento traz como ‘pano de fundo’ uma ‘cruz socorrista’, que pretende simbolizar a ‘salvação’ dos grandes saraus e dos encontros declamatórios ‘almáticos’. | Imagem: Divulgação/PVA.

O vocábulo “Patologia” serve para, analogicamente, dar um sentido de ‘doença’ (saudade, solidão, vontade da liberdade, vícios culturais, ‘loucura’ pela poesia, pela literatura e pela arte como um todo). A figura do patinho lindo e colorido (que ilustra o logotipo do Movimento) é apenas uma maneira icônica de empregar à semiótica da marca a alegria visual de viver de cultura, e para dar sentido à partícula inicial do termo. A iniciativa pretende, além de dar notabilidade à Cultura, homenagear o Projeto “Chá do Armando” e a memória do seu criador, o escritor Armando Menezes.

O Movimento é de responsabilidade da Associação Brasileira de Escritores e Poetas Pan-Amazônicos (ABEPPA) e da Academia de Letras e Culturas da Amazônia (ALCAMA), e acontecerá regularmente toda última sexta-feira de cada mês, às 18hs, em lugares diversos, com música, poesia, jornalismo, música, pintura, direito, literatura, arte, educação, ciências, teatro, artesanato, funcionando como um grande sarau aberto, onde cada segmento poderá expressar, discursar, declamar, descrever artística, solene e formalmente o seu trabalho.

Escritor Armando Menezes, fundador do “Chá do Armando” e grande intelectual amazonense. Homenageado Perene do Movimento “Patologia Cultural”. | Foto: Divulgação/PVA.

Embora tenha sido originalmente inspirado no projeto “Chá do Armando”, o Movimento “Patologia Cultural” se dará em moldes diferenciados, e ocorrerá mensalmente em homenagem perene ao escritor Armando Menezes, com a sua foto emoldurada e em cavalete sempre exposta no local do evento.

A camisa oficial do “Patologia Cultural” de abril, representa a “Vida Nova” (inverso da “Nova Vida”), cuja simbologia traz uma criança indígena para caracterizar o futuro, o povir, o desejo de mudar as coisas, após tantas perdas horrendas trazidas pelo pandemia da Covid-19. Cada “Patologia Cultural” será temático. A próxima edição ocorrerá no dia 28 de maio, e terá como tema “A Sobrevivência”, onde os participantes inscritos deverão criar poemas, escritos, pinturas, etc., voltados para a temática. Os trabalhos deverão ser inéditos. O Edital será lançado já na primeira semana de maio.

A camisa oficial do “Patologia Cultural” de abril representa a “Vida Nova” (inverso da “Nova Vida”), cuja simbologia traz uma criança indígena para caracterizar o futuro, o povir, o desejo de mudar as coisas, após tantas perdas horrendas trazidas pelo pandemia da Covid-19. | Imagem: Divulgação/PVA.A Bandeira Oficial, que além de trazer a própria marca do Movimento, tem como ‘pano de fundo’ uma ‘cruz socorrista’, que objetiva remeter ao entendimento de ‘salvação’ dos grandes saraus e dos encontros declamatórios ‘almáticos’. A cor laranja representa o fervor aurífero que está no preciosismo da Cultura Amazônica. O verde, que simplesmente é a Amazônia propriamente dita, retrata também a esperança de futuro cultural mais fortalecido.

Aos que desejarem participar como espectadores do evento, a Coordenação Geral informa que a entrada é gratuita. Haverá música ao vivo e apresentações diversificadas. | Foto: Sinthya Queiroz/PVA.

O evento será transmitido ao vivo pela Rádio Cultural da Amazônia e pelo Portal Voz Amazônica. Aos que desejarem participar como espectadores do evento, a Coordenação Geral informa que a entrada é gratuita. Haverá música ao vivo e apresentações diversificadas. Mais informações pelos Whatsapps: (92) 99428-9908 e 98200-9908.

O que é? “Movimento Patologia Cultural”

Quando? Sexta-feira, dia 30

Que horas? A partir das 18h00

Onde: Auditório da OAB/AM (Av. Paraíba, próximo ao DB).

Da Redação: Synthia Queiroz

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.