Portal Voz Amazônica

Ningyo de Oyama: as fascinantes bonecas japonesas

No Japão, existe uma grande variedade de bonecas. Elas são tratadas com o máximo de respeito, pois são algo que os japoneses valorizam muito.

Manaus – É de conhecimento geral que no Japão existe um número sem fim de templos, santuários e castelos milenares. Um país que, acima de tudo, preza sua cultura e tradição, com muitos festivais e cerimônias ainda realizados fielmente por mais de mil anos.

A cultura japonesa também conta com uma rica mitologia, que narra histórias sobre uma infinidade de deuses, guerreiros, heróis, entre outros temas, além de milhares de lendas dos mais variados tipos, incluindo contos sobre flores, animais e yokais (criaturas sobrenaturais).

As bonecas são souvernis especiais – Foto: Divulgação/PVA

Há ainda um número inimaginável de objetos diretamente ligados ao folclore japonês. Alguns desses objetos são as bonecas de modo geral (bonecas e bonecos), que carregam consigo simbolismos variados desde os tempos do Japão antigo. No país, há diferentes tipos de bonecas, com a maioria tendo os seus próprios significados.

As bonecas para os japoneses

Houve um tempo em que se acreditava que certas bonecas adquiriam vida, que seus pequenos corpos abrigavam a alma humana, constituindo essa crença um mero eco da ideia de que muito amor pode fazer as coisas viverem.

No Japão antigo, a boneca passava de geração a geração e geralmente permanecia em excelente condição por mais de um século. Cem anos entre os braços de crianças que a alimentava, a punha para dormir todas as noites, que a amava e a fazia feliz. Isso pode, sem dúvidas, suscitar maravilhas na imaginação poética de um povo infantil e feliz como o japonês.

O respeito pelas bonecas

No Japão, as bonecas são tratadas com o máximo respeito. Muitos ainda mantêm uma tradição extremamente antiga para com as bonecas, que após uma vida longa e feliz, depois de danificada e reconhecidamente morta, ela não é atirada ao lixo, nem incinerada, muito menos deitada sobre as águas de um córrego ou rio ou enterrada. Mas dedicada a “Kojin”- divindade frequentemente representada com muitos braços. Acredita-se que Kojin habita a árvore “Enoki”. Diz-se que, diante dessa árvore, existe um pequeno santuário, onde a velha boneca é reverentemente depositada.

Hakata ningyo

No Japão, existem os mais variados tipos de ningyo (palavra japonesa que refere-se a bonecos de modo geral). A variedade mais famosa é a kokeshi, conhecida em praticamente todo o mundo. No entanto, um boneco muito cobiçado é o “Hakata”, que são pequenas imagens produzidas em cerâmica feitas a mão, uma tradição que é mantida por mais de quatro séculos no país.

No Japão, as bonecas são tratadas com o máximo respeito – Foto: Paulo Queiroz/PVA

A riqueza de detalhes no rosto e nas roupas dos Hakata é impressionante. O ateliê de Nakamura, em Fukuoka, sul do Japão, também pode fazer parte de um tour no país, onde, além de o turista ter a oportunidade de conhecer o mestre e sua arte, também pode comprar alguns ningyo. Embora não seja uma lembrancinha barata, é uma boa forma de conhecer um artesanato lindo, delicado e, o melhor, só existe no Japão.

Da Redação

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.