Portal Voz Amazônica

Nova estratégia: Flordelis agora aponta filha Simone como mandante do assassinato de Anderson do Carmo

Flordelis, mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, afirma agora, 1 ano e  meio após o crime, que sua filha Simone foi quem mandou matar a vítima. Uma novidade estratégica que visa ‘nublar’ o processo, e gerar controvérsias e procrastinações. 

Rio de Janeiro – Em entrevista nessa quinta-feira (25), a deputada federal Flordelis, mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, afirmou ao entrevistador Pedro Bial, responsável por comandar o programa ‘Conversa com Bial’, da TV Globo, que sua filha Simone foi quem mandou matar a vítima. Uma novidade estratégica que visa ‘nublar’ o processo, e gerar controvérsias e procrastinações.

Na entrevista, a parlamentar tentou explicar as contradições e os fatos que fizeram o Ministério Público do Rio de Janeiro considerá-la a mentora do crime. Flordelis também deu sua versão para a trama familiar que explicaria por que duas filhas do casal tinham motivações para matar o pastor.

Simone Delis, filha biológica de Flordelis. Simone fez buscas na internet por termos como: “envenenamento”, “matador de aluguel”, “veneno pra matar pessoa que seja letal e fácil de comprar”. | Foto: Divulgação/PVA.

De acordo com informações do site da Globo, foram acusados de participar do crime os filhos Flávio, Lucas, Simone, Marzy, Adriano, André e Carlos e a neta Rayane. Todos foram presos, exceto Flordelis, exceto ela, que tem imunidade parlamentar.

Estratagema-Imbróglio

Com as novas estratégias de defesa de Flordelis, as suspeitas recaíram sobre Simone, que é mãe de 4 filhos. A filha biológica da deputada, que fez buscas na internet por termos como “envenenamento”, “matador de aluguel”, “veneno pra matar pessoa que seja letal e fácil de comprar”, afirmou em seu depoimento que a ideia do assassinato partiu dela e que entregou dinheiro a sua irmã Marzy para comprar a arma do crime.

A acusação diz que as declarações de Simone não são suficientes para determinar que ela é a autora do crime. | Foto: Divulgação/PVA.

Segundo a advogada de Simone, a mulher optou pelo crime em decorrência dos abusos sexuais que supostamente ela sofria do padrasto. A acusação diz que as declarações de Simone não são suficientes para determinar que ela é a autora do crime, mas Flordelis, que alegou não saber dos abusos sofridos pela filha, endossa a versão.

“Além de estar com câncer, sofrendo com câncer, ela carregava isso sozinha, em silêncio, esses assédios, esses estupros. Ela carregava sozinha, Bial. Não estou defendendo ela, porque não concordo com o que ela fez. Eu discordo 100%. Ela não podia ter feito isso, não é matando que resolvemos os problemas”, disse a deputada.

Advogado assistente de acusação se manifesta

Dr. Ângelo Máximo, advogado assistente de acusação, com irmã e mãe do pastor Anderson (ainda vivas), batalhando por justiça. | Foto: Divulgação/PVA.

Em Nota Pública, o Advogado Assistente da Acusação, Dr. Ângelo Máximo, se manifesta sobre a entrevista concedida por Flordelis:

NOTA DO ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO NO CASO DO ASSASSINATO DO PASTOR ANDERSON DO CARMO:

Após assistir a entrevista da deputada, ora ré Flordelis no “CONVERSA COM BIAL” ontem, dia 25/03, informo que das mais de 21 mil páginas do processo, não existe qualquer confissão de sua filha Simone declarando ter sido a mandante, ou mesmo ter contratado alguém para matar barbaramente com mais de 30 tiros, o pastor Anderson do Carmo.

De uma análise da entrevista onde o excelente entrevistador e jornalista Pedro Bial realizou dezenas de perguntas, importante a fixação nas respostas da entrevistada, que por várias vezes respondeu com “não sabia”, o que demonstra a importância de nosso voto, já que uma mãe e esposa alega não ter ciência da sórdida trama que ocorria em sua própria casa, pode alegar aos eleitores e cidadãos brasileiros desconhecer as não menos sórdidas tramas que ocorrem no meio político e que levaram nosso país ao grave estado em que hoje se encontra.

 Desgosto e temor da injustiça: irmã e mãe do Pr. Anderson morrem 

Irmã e mãe do Pastor Anderson do Carmo morreram com graves problemas emocionais após o assassinato dele. Elas sofreram grandes abalos pelo temor da aparente injustiça. | Foto: Divulgação/PVA.

Michele do Carmo de Souza, de 39 anos, irmã do Pr. Anderson do Carmo (assassinado, segundo provas irrefutáveis da polícia, a mando da deputada federal Flordelis), morreu no dia 21 de outubro de 2019, em decorrência de uma anemia (quando o sangue não tem uma quantidade suficiente de glóbulos vermelhos saudáveis). Michele morreu devido a graves problemas emocionais por causa do assassinato de seu irmão.

Seis meses após o falecimento de Michele, a mãe do pastor Anderson do Carmo, Maria Edna do Carmo, de 65 anos, também morre, no dia 08 de abril de 2020, nove meses após o assassinato de seu filho a mando de Flordelis. A ex-sogra de Flordelis sofreu um infarto após ter pico elevado de glicose. Ela vivia chorando pelo temor aparente da injustiça na apuração do assassinato de seu filho.

Especialistas em Direito Criminal afirmam que este é um caso relativamente comum, sem complexidades que forcem reviravoltas expressivas, e que Flordelis deve ser presa em breve, e que sua condenação é certa. O processo que tramita na Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, e que deve culminar com a sua cassação em meados de maio, por via de consequência, cessará também os efeitos da imunidade parlamentar, ensejando a prisão preventiva dela.

Da Redação: Paulo Queiroz

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.