Portal Voz Amazônica

O BRASIL DE CABEÇA PARA BAIXO

O grande tribuno romano Marco Túlio Cícero dizia que todo homem é magistrado quando se cuida de salvar a Pátria. Vale dizer: não podemos, como cidadãos, ficar calados ou omissos quando entendemos que valores e princípios caros à sociedade estão sendo escandalosamente vulnerados. O Brasil, hoje, encontra-se de cabeça pra baixo, com o errado querendo parecer certo e querendo, também, impor a sua narrativa e o seu projeto de reconquista de poder e sequestro do Estado a qualquer custo. É tanta coisa que não dá para tratar, aqui, de um tema só. Dedicarei um pouco de tinta e papel a cada um deles, por agora, posto que, assim, a minha consciência manda.

Bancada da China

Meus caríssimos leitores, vocês já ouviram falar numa tal de “bancada da China” no Congresso Nacional? Uma excrescência, não é mesmo? Como é que pode, parlamentares brasileiros, eleitos pelo povo  brasileiro, defendendo os interesses da China contra o seu próprio país? Fui procurar maiores informações e vi que, de fato, existe um grupo de deputados e senadores, não sei precisar o número, que se apresentam como integrantes da “Frente Parlamentar Brasil-China”, os quais, supostamente, a pretexto de melhorar as relações diplomáticas entre os dois países, faz, em verdade, oposição raivosa e sistemática ao governo eleito pela maioria dos brasileiros. Se há algo mais impatriótico do que isso, não sei precisar. Se esses caras fizessem isso na China, provavelmente não se ouviria mais falar deles. Aqui ficam cantando de galo… Um absurdo, lamentável demais. Uma sugestão: eleitores, identifiquem os integrantes desse grupo e não os reelejam.

Voto impresso

Uma outra coisa que eu não entendo é a resistência, em especial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em adotar, como mais um mecanismo de segurança, o voto impresso, previsto em lei (art. 5º da Lei 12.034), mas, adivinhem, suspenso por medida liminar do Supremo Tribunal Federal (STF)… O voto impresso significa um instrumento a mais a garantir a verificação dos resultados independente do sistema eletrônico. A opinião comum dos doutores (professores, peritos especialistas internacionais) é de que o voto impresso pode, sim, incrementar a segurança nas eleições. E, aqui pra nós, não somos nenhum “Vale do Silício”. Na verdade, os criminosos tupiniquins acreditam que vale tudo. E nem se venha dizer que o voto impresso aumenta as despesas. A legitimidade de uma eleição não tem preço. Ademais, gasta-se tanto dinheiro com fundo eleitoral, que gastar com a segurança dos resultados das eleições não seria demais. Voto impresso, já!

CPI da Covid-19

Não fosse trágico, seria cômico. Gastando o dinheiro da nação, alguns senadores, só falta a auréola de anjos, dizem que estão preocupados em “salvar vidas” e trabalham, diuturnamente, para imputar culpa, que considero injusta, diga-se de passagem, ao presidente da República. Ainda bem que ninguém, absolutamente ninguém, consegue levá-los a sério. É mais um triste teatro, e o pior, às nossas custas, que vai dar em nada porque, na origem, é isso: nada!

Enganam-se, porém, aqueles que acham que o povo, o verdadeiro titular de todo o poder, está dormindo. O 1º de maio, com nunca houve na República, mostrou justamente o contrário. O povo sabe o que quer e sabe também quem está ou não ao seu lado. E vai colocar este país, eu creio, de cabeça para cima, como ele merece!

Da Redação:

Júlio Antônio Lopes para o Portal Voz Amazônica e para a Rádio Cultural da Amazônia

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.