Portal Voz Amazônica

Vazamentos de “nudes” aumentam na pandemia e podem causar depressão

Os especialistas deixam claro que o compartilhamento de imagens sem consentimento pode incentivar o aparecimento de quadros psiquiátricos. Não é incomum casos de jovens que tiram a própria vida após terem suas fotos íntimas vazadas.

Brasília – Um em cada quatro brasileiros já recebeu “nudes”. Essa foi uma das conclusões de uma pesquisa da rede de agências de publicidade global McCann. A questão é que essa divulgação nem sempre é consentida.

Em 2020, segundo dados da SaferNet, ONG que monitora crimes e violações dos direitos humanos na internet, foram denunciados 1147 casos de sexting, (envio de material de conteúdo sexual por redes sociais ou aplicativos de mensagens) e o número de atendimentos registrou que este problema é muito comum e só perde para problemas com dados pessoais e temas como saúde e bem-estar.

Os especialistas deixam claro que o compartilhamento de imagens sem consentimento pode incentivar o aparecimento de quadros psiquiátricos. Não é incomum casos de jovens que tiram a própria vida após terem suas fotos íntimas vazadas.

Opiniões

“Como advogada acredito que o que causa esse tipo de crime é a maldade do criminoso e atinge homens e mulheres. No âmbito jurídico nós temos a lei Carolina Dieckmann que foi proposto em referência ao que ocorreu com a atriz, em maio de 2012. Ela teve arquivos copiados de seu computador pessoal, conversas e fotos íntimas foram divulgadas na Internet sem autorização. Além dela, temos outros mecanismos de proteção que a vítima pode recorrer”, explicou a advogada criminalista, Marcilene Soares.

E na pandemia esse cenário ficou ainda pior. A apresentadora Cleide Ferrreira pontuou que o isolamento social fez com que aumentasse consideravelmente esse tipo de crime. “Penso que o descuido da vítima contribui muito. Ainda mais durante a pandemia onde as pessoas estão mais carentes… E aí, depois que acontece o vazamento, a vítima fica muitas vezes sem saber o que fazer”.

O empresário Adalberto Ribeiro concordou com Cleide e falou sobre a responsabilidade da vítima. “As pessoas precisam se proteger, não podem ser ingênuas para não cair na armadilha dos criminosos. Quem comete esses crimes está buscando apenas uma oportunidade”.

A recepcionista Daniela Ferina revelou durante o programa quase ter sido alvo de vazamento de nudes. “Em 2007 namorei o dono de uma academia e ele sempre insistia para me filmar ou fotografar. Depois que terminamos, apaguei do meu celular e consegui apagar as imagens do celular dele. Mas, quando ele namorou outra menina, ele divulgou todas as fotos dela nua, por status. Infelizmente isso é comum nos dias de hoje”.

Resultado da enquete

Ao final do programa, 52% dos espectadores votaram que a culpa do vazamento de nudes é da vítima. “Precisamos lembrar que a pessoa tem controle sobre as suas próprias ações. Então, se você controlar suas ações não passará por isso”, observa o apresentador, Bispo Adilson Silva.

O também apresentador, Guilherme Grando, lembrou sobre a vulnerabilidade da privacidade nas redes. “Nossos telefones podem ser clonados a qualquer momento, estamos vendo tantos problemas relacionados a isso, então, as pessoas precisam ter esse entendimento e tomar cuidado com o que armazenam e permitem”.

O programa Fala Que Eu Te Escuto é exibido de terça a sábado pela Record TV, a partir de 00h45. Quem se encontra em outros países pode assistir pela Record Internacional ou pelo Facebook.

Da Redação

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.