Portal Voz Amazônica

VÍDEOS: Paulinho Faria, a voz icônica do Boi Garantido e maior Apresentador da história morre de Covid-19

O “Pai da Contagem”, o “Garotinho de Ouro”, o “Eterno Apresentador”, e tantos outros cognomes exclusivos recebeu o vitorioso Paulinho Faria, mas muitos outros também serviriam para caracterizar essa lenda cultural do Boi-Bumbá Garantido.

Manaus – O monstro vocal, referencial da simpatia popular, exímio exemplo de interação com o público em plena arena, o ídolo do coliseu bovino escarlate, o maior apresentador da história do Festival Folclórico de Parintins, descansou hoje, segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021, depois de enfrentar uma batalha veemente contra esse muitíssimo precito e destrutivo vírus, que, de igual modo, já arrancou de nosso convívio outras estrelas preciosas da alegria.

Muitos de nós partimos sem cumprir com efetividade e completude a nossa missão neste inflexível plano terreno, mas Paulinho Faria encerrou com sobejo e com varonil sobra o seu ‘mister’, a sua carreira, dentro da atmosfera em que ele entronizava o povo amazônico no terreno da alegria e do prazer de sentir o amor pelo Garantido e pelo folclore. E fazia isso desde os 15 anos, quando chegou ao Boi para erguer uma epopeia invejável de conquistas.

O triunfo e a glória governavam o seu caminhar estrelado, e em 26 anos como apresentador do Boi Garantido, Paulinho Faria acumulou 24 vitórias no Festival Folclórico de Parintins, e teria conquistado muito mais, não fosse pela forçosa necessidade de se afastar da Arena, em 2001, por causa de um problema auditivo, que culminou com a ruptura irreversível das células auditivas. Porém, o mestre encaminhou substituto que o seu sentir artístico apurado entendia ser o nome ideal, e deixou Israel Paulain feito o seu substituto: “Deixei um vitorioso lá”, dizia ele.

O mestre encaminhou Israel Paulain, feito o seu substituto, que é o Apresentador há mais de 15 anos: “Deixei um vitorioso lá” – Foto: Divulgação/PVA

Além de ferrenho defensor do Folclore, e grande cantador, com a sua voz icônica, Paulinho Faria foi também um dos fundadores da Alvorada do Boi Garantido, um dos movimentos mais fervorosos de fé e festa do povo amazônico. Um Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado do Amazonas desde 2017, que arrebata mais de 40 mil pessoas às ruas de Parintins, até o amanhecer na Catedral de Nossa Senhora do Carmo, onde reverenciam a padroeira de Parintins, Nossa Senhor do Carmo.

A Alvorada do Boi Garantido nasceu quando Paulinho e Jair Mendes saíram na madrugada com a finalidade de arrancar da cama os moradores e torcedores, anunciando o primeiro ensaio, pois isso levaria mais pessoas para o Curral da Baixa do São José. Não foi uma tarefa fácil. Inicialmente emprestavam os autofalantes do Cine Oriental, em 1974, perambulando pelas ruas às cinco da madrugada com volume “até o talo”. No ano seguinte, em 1975, com um pequeno aperfeiçoamento, trouxeram fogueteiros ‘profissionais’ e uma caminhonete da tradicional “Loja Jotapê”, dando força e potência à “zuada” popular. Hoje, o evento é colossal e poderoso na ‘construção’ da alegria do Povo Vermelho.

O “Garotinho de Ouro” agora dorme em leito de descanso eterno, porque era amado pela Amazônia. Tanto era amado, que mesmo depois de ter deixado as funções de Apresentador Oficial do Garantido, prosseguia reverenciado e respeitado por todos, inclusive pelos torcedores do boi ‘contrário’ (o Boi-Bumbá Caprichoso), pois ele era considerado o “Eterno Apresentador do Boi-Bumbá Garantido”, e quando se despediu, em 2021, com uma Arena lotadíssima de torcedores eufóricos, tanto de Garantido como de Caprichoso, ouviu da multidão uníssona: “Fica!, Fica!, Fica!…”.

Você pode conferir abaixo esse momento lindo e histórico da despedida do mestre:

Paulinho Faria morreu hoje (22/02), aos 61 anos de idade, vítima da Covid-19, e havia sido transferido há alguns dias para a capital Manaus, após apresentar piora em Parintins, e estava internado no Hospital Samel, onde faleceu. Ele deixa uma lacuna expressiva de saudade em nossos corações. Uma saudade que só poderemos amenizar com as lembranças especiais de sua pessoa, e com as toadas antológicas que ele cantou para o povão. Toadas que nem essas que podemos curtir num show ao vivo que Paulinho Faria fez com a “banda Coração”. Confira:

Adeus, Paulinho faria! O Eterno te receba em Sua Glória! Nunca te esqueceremos!

Da Redação:
Texto: Paulo Queiroz
Foto: Divulgação/PVA

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.